Phil Spencer diz que estratégia do Xbox Series X não é baseada em consoles vendidos

O mais importante é o jogador e não o dispositivo.

A Microsoft está neste momento a preparar o lançamento de um novo console, o Xbox Series X, enquanto lida com os efeitos da pandemia COVID-19 e pondera os possíveis efeitos de uma recessão econômica mundial no negócio.

No entanto, Phil Spencer, patrão da divisão Xbox da Microsoft, compartilhou que o mais importante não é o número de consoles Xbox Series X vendidos em 2020, mas sim o consumidor e os serviços que estão a ser apresentados.

Em conversa com a BBC sobre como estão a ser geridas as expectativas de um lançamento num mundo que lida com uma pandemia, Spencer diz que existem métricas muito mais importante do que o número de consoles vendidos.

Questionado se os jogadores não vão ter em conta que o console será mais caro no lançamento, Spencer respondeu que “as pessoas encontram verdadeiro valor no investimento que fazem nos jogos.”

“Pode comprar um console, comprar alguns jogos e isso vai literalmente dar à tua família centenas de horas de entretenimento. Mesmo quando olhamos para 2008 e 2009, nessa recessão, vemos qual foi o impacto nos jogos, os jogos safaram-se. Foi durável. Queremos ter a certeza que fornecemos o valor correto aos consumidores.”

“O preço será importante. Mas a nossa estratégia está centrada no jogador e não no dispositivo. Se este não é o ano no qual uma família quer comprar um nova Xbox, não faz mal. A nossa estratégia não gira em torno de quantos consoles Xbox eu vendo este ano.”

“Estamos focados em entregar serviços como o Xbox Game Pass, que permite às pessoas construir a sua biblioteca por uma mensalidade. A retro-compatibilidade significa que o console que têm correrá centenas e centenas de jogos. A Smart Delivery significa que quando transitarem para a próxima geração os jogos vão com eles.”

Spencer relembrou ainda que os que tiverem maiores dificuldades financeiras poderão recorrer ao Xbox All Access e pagar mensalmente o seu Xbox Series X e desfrutar do poder da próxima geração.

Além disso, acredita que métricas como número de jogadores, jogadores online, número de amigos, frequência com que jogam e até os jogos que jogam começam a ter muito mais importância do que o número de consoles vendidos.

Fonte:eurogamer

👉 Siga-nos no twitter e instagram