Xbox One completa 7 anos de vida desde o seu lançamento

The Entertainment All-In-One Console

Idealizado por Don Mattrick, Yusuf Mehdi e Steve Ballmer, o mundo dos videogames viu a Microsoft anunciar a sua 8° Geração de Consoles em 2013, com a chegada do futurista e um tanto diferente, Xbox One.

Com esse console, a Microsoft despregou o conceito de que os Consoles Xbox eram apenas sobre videogames, mas também que eram sobre todo o Entretenimento disponível no mercado. Filmes, TV, Sports, Kinect, Jogos, Skype, o Xbox One foi projeto para ser um console ‘Tudo-Em-Um’ (All-In-One), por isso ele recebeu este nome em específico, Xbox One (The Only One).

O problema é, esse conceito custou um preço, e ele foi alto. Para atingir os objetivos de ser um Tudo-Em-Um, o console teve de abdicar de um preço mais competitivo para ser US$ 100 mais caro que seu rival, o PS4, e usar um pedaço de sua CPU e RAM para conseguir fazer tantas coisas ao mesmo tempo, o que fez os jogos rodarem muitas vezes em Full HD com quedas para 900p.

Para solucionar um pouco do problema, a Microsoft adotou o Xbox Live Cloud (Cloud Powered), provindo do Azure, para dar poder extra junto do DirectX12, vistos em jogos como a franquia Forza, Halo 5, Gears 5 e Sunset Overdrive.

No quesito de jogos, no Xbox One vimos a chegada da Microsoft Studios, que em 2019 se tornou Xbox Game Studios, com a introdução de jogos como Killer Instinct, Ryse: Son of Rome, Sunset Overdrive, Halo 5: Guardians, Halo Wars 2, Forza 5, 6 e 7, Quantum Break, Sea of Thieves, Gears of War 4, 5 e Tactics, Ori 1 e 2, Dead Rising 3 e 4, ReCore, Rise of the Tomb Raider, Titanfall, State of Decay 2, e outros.

Também houve momentos de tristeza como o cancelamento de Scalebound, Fable Legends, Phantom Dust Remake, e do fim da Xbox Live Arcade e de empresas como Lionhead Studios, Press Play, BigPark, Carbonated Games e Team Dakota.

Porém, também vimos o nascimento da ID@Xbox, que possibilitou jogos como Cuphead, Tacoma, Inside, e outros de existirem. Em 2017, vimos a introdução do popular serviço de assinatura Xbox Game Pass, e também do Xbox All-Access, além do retorno dos eventos Inside Xbox, Xbox X0, e Xbox Live Comet, que estavam parados desde 2010.

E claro, em 2016 vimos a entrada do Xbox One S, um console mais barato, menor, mais potente e trazendo melhorias perante o Xbox One Fat, em 2017 do Xbox One X, o console mais poderoso da 8° Geração, que trouxe-nos o 4K Ultra HD aos consoles de mesa, e em 2019 do Xbox One S All-Digital, o primeiro console totalmente digital da Microsoft.

Além disso, em 2015, vimos a introdução do Xbox Backward Compatibility e Xbox Design Lab, o primeiro, trazendo retrocompatibilidade do Xbox One com o Xbox 360 e Xbox Original, e o segundo, uma divisão própria para Consoles e Controles customizados e tematizados de várias formas.

A última geração pode não ter sido a melhor para o Xbox, que vendeu pouco mais de 47 milhões de consoles, mas foi a mais lucrativa em termos de receita e gastos dentro dos jogos quando comparada ao do Xbox 360, e o console conseguiu vender mais do que o Xbox Original, se colocando como o 2° Xbox mais vendido diante de suas 3 Gerações, o que mostra que passou longe de um fracasso.