Shinji Mikami diz que sempre odiou jogos com câmera fixa, como Resident Evil 1, 2, e 3

O Diretor de RE4 diz que sente vergonha pelos fãs ainda pedirem jogos desse formato em 2020

Em uma entrevista com o canal de YouTube ‘Archipel’, Shinji Mikami tem comemorou sua Carreira de 30 anos, revelando que sim, ele odeia com jogos de câmera fixa, que é o tipo de experiência que, como o de Resident Evil 1, que foi um fator tão crucial para seu sucesso profissional.

Quando questionado por seu entrevistador sobre o sentimento em relação àqueles que olham com nostalgia para a era do terror de câmera fixa, Mikami francamente afirmou que:

“Me sinto envergonhado por eles” , também pedindo aos fãs do gênero que parem de pensar dessa forma, que os jogos de câmera fixa não servem mais.

Na inevitável discussão gerada nas redes sociais pelas palavras de Mikami, Sam Barlow, o desenvolvedor de Silent Hill Origins e Shattered Memories, também interveio.

Pelas colunas de seu perfil social, o designer inglês de fato compartilhou uma imagem capturada naquele exato momento da entrevista com o fabricante japonês para afirmar que:

“Aquela frase diz tudo. Aliás, sempre fui um grande fã de Suda51 e Mikami, por como eles foram capazes de resolver completamente o problema de controles em jogos de câmera fixa no estilo do Resident Evil tradicional.”

Os tempos de Killer 7 e do clássico Resident Evil, no entanto, já se foram para Mikami. O autor japonês de fato fundou a Tango Gameworks, agora do Xbox Game Studios e Microsoft, fazendo a experiência de terror duplo de The Evil Within, e está trabalhando em Ghostwire: Tokyo.

O caminho profissional empreendido por Barlow é ainda menos “linear”. Depois de Silent Hill Origins, na verdade, o desenvolvedor britânico supervisionou os projetos de Her Story e Telling Lies, mas recentemente sugeriu um retorno ao horror narrativo ao sugerir desenvolvimento da sequência de Silent Hill: Shattered Memories.

Fonte:everyeye