Siga-nos:

Morre ‘Paul Haddad’ dublador da voz de Leon no Resident Evil 2 original

Um dos seus últimos projetos foi Daymare: 1998, um jogo de terror e sobrevivência inspirado nos primeiros Resident Evil.

Morreu o ator Paul Haddad, mais conhecido por interpretar Leon S. Kennedy na versão original de Resident Evil 2.

Vários comentários de amigos no Facebook do ator confirmam a sua morte, embora as causas ainda sejam desconhecidas. Paul Haddad tinha apenas 56 anos de idade.

A última publicação do ator no Facebook foi em 14 de Fevereiro de 2020, onde confessou ter uma severa desordem obsessiva compulsiva desde os 12 anos. Há cerca de 7 anos descobriu um “novo dispositivo revolucionário” que podia ser implementando no cérebro para lidar com desordens mentais específicas.

O ator foi aceito na investigação e tornou-se na 30º pessoa do mundo a ter este dispositivo implantado no cérebro para lidar com a sua desordem mental. “Durante 5 anos, o que mudou dramaticamente foi que não precisava de tomar medicamentos para a ansiedade, como Clonazepam” escreveu o ator.

Contrariamente às esperanças do ator, o dispositivo não removeu os pensamentos compulsivos da sua desordem, “em vez disso, diminui drasticamente a ansiedade, o pânico, o pavor, e o medo de que você pode morrer porque não consegue parar o loop infinito de pensamentos”.

O dispositivo que tinha implantado no cérebro precisava de uma mudança de bateria a cada dois anos e surgiu uma complicação na terceira cirurgia. O ator acabou por desenvolver um grande hematoma (durante a cirurgia foi rompida uma artéria, o que deu origem a uma hemorragia interna).

Depois de outra cirurgia que lhe salvou a vida, retornou para casa oito dias depois. “Sentia-me fraco, letárgico e geralmente não conseguia levantar a minha cabeça da almofada. No lugar onde a bateria foi inserida começou a desenvolver-se uma enorme queimadura”, escreveu o ator.

Ele descobriu, após semanas em sofrimento, que tinha desenvolvido uma enorme infecção. Mesmo tomando antibióticos durante um mês, a infecção não diminuiu. O seu cirurgião acabou por optar por remover o dispositivo cerebral.

“A minha desordem obsessiva compulsiva estava volta e em níveis altos. Estou caindo novamente na toca do coelho.” desabafou Paul Haddad. “A minha carreira está completamente parada. Não tive um encontro ou amante em 10 anos. Estou solteiro, com meia idade, falido, sozinho, e exceto minha mãe, irmão, irmã e poucos amigos enviados do céu que me mostraram compaixão que eu não sabia que existia.”

Nesta publicação, o ator partilhou uma campanha GoFundMe para a sua terceira neurocirurgia em três meses, e terminou dizendo que “estou envergonhado de estar nesta situação. Mas tenho que lutar para sobreviver e hoje estou lutando”.

Um dos seus últimos projetos foi Daymare: 1998, um jogo de terror e sobrevivência inspirado nos primeiros Resident Evil.

Fonte:eurogamer