Kassandra seria a única protagonista de ‘Assassin’s Creed Odyssey’, mas a Ubisoft considerou que ‘mulheres não vendem’

Mais uma grave denúncia sobre a família que está a frente da gigante desenvolvedora Europeia

Infelizmente após uma polêmica forte envolvendo o alto escalão da diretoria da Ubisoft, chegou a vez de mais uma denuncia abalar os alicerces da gigante desenvolvedora europeia.

A pouco tempo atrás, o diretor executivo de Assassin’s Creed Valhalla acabou saindo da empresa debaixo das graves acusações de assédio sexual. Agora, Jason Schreier, da Bloomberg, publicou um artigo que traz mais detalhes sobre esses casos, puxando para revelações polemicas que aconteceram durante o desenvolvimento de jogos no passado, expondo diversos relatos de funcionarios com acusações de assedio, humilhação, e má conduta por parte dos líderes da Ubisoft. 

Por exemplo, segundo informações, Kassandra era a única protagonista de Assassin’s Creed Odyssey,porém a Ubisoft considerou que personagens femininas por si só não vendem jogos.

“Entre os muitos detalhes que conheci ao fazer essa história: os desenvolvedores de Assassin’s Creed Odyssey queriam que Kassandra fosse o único personagem jogável , mas a equipe de marketing da Ubisoft e o líder criativo Serge Hascoët não permitiram. As mulheres não vendem , disseram eles ”,

Após muitas considerações sobre deixar ou não Kassandra a frente da trama do game, por fim, os diretores do game optaram por deixar Alexios também um personagem jogavel. Inicialmente ele seria apenas o vilão do Game e morreria na trama original.

Schreirer continua as denuncias:

“Com as acusações de que Hascoë (Diretor executivo da Ubisoft) se comportou de maneira inadequada com as mulheres, as noticias também se espalharam pelos escritórios. Em uma reunião na sede da Ubisoft em Paris, um dos principais líderes criativos de um grande jogo foi apresentá-lo ao Hascoët e a outros tomadores de decisão da empresa. Quando a líder, uma mulher, saiu da sala para ir ao banheiro, Hascoët exibiu um vídeo no YouTube, segundo duas pessoas presentes na reunião. Ele tocou uma música francesa descrevendo atos sexualmente explícitos com uma mulher que tem o mesmo nome. Ele fez uma pausa quando ela voltou para a sala, dizem as duas pessoas, que pediram que o nome da mulher não fosse impresso. E como era comum em reuniões de alto nível na Ubisoft, não havia outras mulheres presente”

Hascoët já é figurinha carimbada na industria por ter um pessimo comportamento com os colegas de trabalho. Em relatos do jornal francês Libération, Hascoët havia feito comentários sexualmente explícitos a diversos funcionários da Ubi, pressionou os subordinados a beber excessivamente e deu aos colegas bolos contendo maconha sem o seu conhecimento.

Voce pode conferir mais detalhes sobre a denuncia pelo Bloomberg. Conforme mais informações forem surgindo, iremos estar atualizando aqui.