Diretores das franquias Splinter Cell e Rainbow Six são afastados da Ubisoft

Após a empresa ter descoberto envolvimento deles nos relatos de Abuso Sexual

Um grande Terremoto na indústria do entretenimento vem acontecendo. Após a saída de Chris Avellone de Dying Light 2, que, segundo o testemunho de uma mulher, seria culpada de assédio sexual, acusações semelhantes também envolveram executivos chefe e diretores da Ubisoft.

Em 22 de junho, Andrien Gbinigie, gerente de marketing de produtos e marcas, foi acusado de violência sexual, que mais tarde negou em um post no Medium, agora não rastreável.

Alguns dias depois, em 24 de junho, o diretor criativo de Assassin’s Creed: Valhalla , Ashraf Ismail, anunciou que havia deixado a Ubisoft após alegações de infidelidade.

Após esses eventos, em 25 de junho, a empresa francesa iniciou investigações usando consultores externos para esclarecer o comportamento de seus funcionários e, aparentemente, eles já produziram os primeiros resultados.

Segundo a Bloomberg (Jason Schreier), dois executivos foram suspensos, os vice-presidentes Tommy François e Maxime Béland. Ambos ocupavam uma posição de destaque, pois supervisionavam o desenvolvimento de jogos nos estúdios internacionais da Ubisoft.

Também vale lembrar que Tommy é a grande mente por trás de todos os jogos da franquia Rainbow Six, enquanto o Beland é o criador e diretor dos jogos Splinter Cell Chaos Theory, Double Agent, Conviction e Blacklist.

Segundo o relatório, François e Béland haviam recebido pelo menos três acusações de má conduta cada uma e estão atualmente sob investigação. Em um comunicado enviado à GameSpot, um porta-voz da Ubisoft confirmou a suspensão dos dois executivos, mas deixou claro que nenhum comentário adicional será feito durante a investigação.