Siga-nos:

Diferente do Xbox Game Pass ‘PlayStation Spartacus’ não vai trazer jogos lançamentos

Ele explica o porque da Sony ter decidido não seguir os passos do Xbox Game Pass com as novas versões do PS Plus

Sempre que uma nova plataforma ou serviço é anunciado, o foco é inevitavelmente no que está faltando e não no que está lá.

As novas ofertas de assinatura PS Plus da Sony oferecem acesso multiplayer online, centenas de jogos PS4 e PS5, streaming, títulos retrô e testes de jogos. Mas o que não inclui, ao contrário de seu principal concorrente (Xbox Game Pass), são novos jogos first-party que são lançados no serviço ao mesmo tempo em que são lançados no varejo.

“Sentimos que estamos em um bom ciclo virtuoso com os estúdios”, explica Jim Ryan, CEO da PlayStation, “onde o investimento gera sucesso, o que permite ainda mais investimento, o que gera ainda mais sucesso. Gostamos desse ciclo e achamos que nossos jogadores como aquele ciclo.”

Ele continua:

“[Em termos de] colocar nossos próprios jogos neste serviço, ou qualquer um de nossos serviços, após o lançamento… não é um caminho que vamos seguir com este novo serviço. Achamos que se fizermos isso com os jogos que fazemos no PlayStation Studios, esse ciclo virtuoso será quebrado.”
“O nível de investimento que precisamos fazer em nossos estúdios não seria possível, e achamos que o efeito indireto na qualidade dos jogos que fazemos não seria algo que os jogadores desejam.”

A visão de Ryan sobre isso não é exclusiva da Sony. A maioria das editoras AAA relutam em colocar seus jogos mais recentes em serviços de assinatura. O contra-argumento é que, ao colocar seus títulos mais recentes no PS Plus ou Xbox Game Pass, você está potencialmente ampliando seu público. Da noite para o dia, seu novo lançamento pode ter dezenas de milhões de jogadores e, se seu jogo tiver outras formas de monetização, o potencial de receita será significativo.

E mesmo que seu jogo não tenha microtransações, o Xbox acredita que as assinaturas, combinadas com streaming, são a chave para encontrar novos jogadores de console. A perspectiva de Ryan é pragmática, e a posição atual da PlayStation sobre isso está totalmente sujeita a mudanças.

“A maneira como o mundo está mudando tão rapidamente no momento, nada é para sempre”, ele nos diz.
“Quem diria mesmo quatro anos atrás que você veria uma IP original da PlayStation sendo publicada para jogadores de PC? Começamos no ano passado com Horizon Zero Dawn, depois Days Gone e agora God of War, com este último possuindo uma versão para PC extremamente polida e bem-sucedida.”

“[Tivemos] grande sucesso crítico e grande sucesso comercial, e todo mundo fez as pazes com isso acontecendo e está completamente à vontade com isso. Eu olho para trás quatro anos e acho que ninguém teria visto isso acontecer.”

“Então, não quero decretar nada neste quesito. Tudo o que estou falando [hoje] é a abordagem que estamos adotando no [curto prazo]. A maneira como nosso modelo de publicação funciona agora, não faz sentido para o lançamento de jogos day-one em um serviço, mas as coisas podem mudar muito rapidamente nesta indústria, como todos sabemos.”

Fonte:gamevicio