Siga-nos:

Desenvolvedores de Ori criticam ambiente de trabalho tóxico

A Moon Studio é certamente uma desenvolvedora muito querida pelos fãs, tendo entregue Ori and the Blind Forest e Ori and the Will of the Wisps, dois excelentes títulos de plataforma. No entanto, parece que os funcionários não possuem a mesma afeição pelo estúdio.

Em uma recente postagem do site VentureBeat, eles trouxeram diversas declarações de funcionários que pintam uma imagem nada otimista do ambiente de trabalho da Moon Studio, em especial aos seus fundadores Thomas Mahler e Gennadiy Korol.

Problemas como racismo, sexismo e bullying parecem ser coisas normais dentro do estúdio. Embora os desenvolvedores tenham ficado felizes com a reação dos jogadores ao seus jogos, muitos questionaram se valia realmente a pena.

Nós realmente criamos algo especial, e eu sei que a única forma de reconciliar isso foi assistir as pessoas no Twitch e ver outras pessoas se emocionarem com o jogo, e isso foi realmente parte do meu processo de cura. Porque talvez meu sofrimento valesse a pena porque outras pessoas sentiram algo. No final, muitos de nós estávamos esgotados.

De acordo com os funcionários, eles sofriam constantes abusos dos fundadores. Em um chat aberto para todos os empregados, ambos os donos viviam criticando os trabalhos deles, chegando a fazer comentários racistas.

Um dos comentários enviados por Thomas Mahler “brincava” a respeito de matar judeus, isso em um chat onde todos do estúdio podiam ler os comentários livremente.

Tyler é a única pessoa que está ciente dos meus planos tortuosos de matar os judeus, fazendo-os trabalhar até a morte desenvolvendo jogos.

E não é apenas sobre brincadeiras de mau gosto que os funcionários reclamaram, mas também sobre o planejamento dos responsáveis. Os fundadores constantemente mudavam os planos de desenvolvimento, o que acabava atrapalhando os desenvolvedores e consequentemente levava ao crunch.

Em certo caso, Mahler chegou a dizer que queria colocar um personagem no jogo sendo estuprado, para servir de motivação de vingança para os jogadores. Os funcionários levaram quase um mês para fazer ele desistir da ideia.

De acordo com os funcionários, essa postura dos criadores de trazerem um ambiente onde qualquer um poderia falar o que quisesse, até mesmo coisas desrespeitosas, seria uma forma de lutar contra o politicamente correto e a cultura “woke”.

Eles têm uma mentalidade em que pensam que não são politicamente corretos, não querem ser censurados, não querem ser corporativos. Eles não querem ser como esses outros estúdios. Mas é apenas uma justificativa para se comportar da forma que quiserem. Outros estúdios tentam criar um ambiente de trabalho confortável para todos os envolvidos.

A política de falar o que pensam é para que os dois possam dizer o que quiserem. E sob o disfarce de “somos todos honestos, seres humanos, somos transparentes. E se você não consegue lidar com isso, talvez este não seja o lugar para você. Você é muito sensível.”

Eles estavam com medo de que a empresa mudasse. Era como se eles fizessem questão de reforçar a cultura anti-woke fazendo piadas inapropriadas regularmente. Foi deliberado. Eles tinham esse medo de que a empresa fosse restringida ou algemada por essas pessoas woke que nos censurariam. Era como se eles estivessem lutando contra uma censura invisível.

Quando procurados para responder sobre o assunto, os fundadores afirmaram que tais comentários não representam os mais de 80 membros da equipe da Moon Studios e não indicam a experiência que eles têm trabalhando no estúdio.

Construímos o Moon Studios com uma premissa simples. Primeiro, queríamos criar um estúdio que não fosse limitado por fronteiras geográficas, permitindo atrair os melhores talentos de todo o mundo. Em segundo lugar, queríamos promover uma cultura vibrante em que nossa equipe prosperasse e entregasse o melhor trabalho em nosso setor. E desde o primeiro dia, partimos para compartilhar os lucros e recompensas de nossos esforços com toda a equipe. Acreditamos que conseguimos.
O que torna nossa equipe tão poderosa é nossa diversidade global e cultural – temos membros da equipe trabalhando em mais de 40 países diferentes em quatro continentes – e uma estrutura de estúdio que permite que todos falem honesta e diretamente e se desafiem e se estimulem a fazer o melhor trabalho possível. Propositalmente nos propusemos a criar um tipo diferente de estúdio – um que encoraje a criatividade, comunicação aberta, colaboração e performance.

O resultado foram dois jogos premiados – com mais vindo no futuro – e uma equipe de profissionais que gostam de trabalhar juntos, estão se destacando e abrindo novos caminhos em nossa indústria, ao mesmo tempo em que compartilham o sucesso financeiro da Moon Studios. Se às vezes somos brutalmente diretos em nossas críticas e desafios, também somos genuínos em nossos elogios. Estamos incrivelmente orgulhosos de tudo o que construímos e conquistamos juntos.

Por fim, apreciamos a ironia de que nós — um austríaco e um judeu israelense — iniciamos esse empreendimento multicultural. Nós nos vemos como irmãos. E, como irmãos, às vezes discutimos e frequentemente provocamos uns aos outros. Fizemos piadas às nossas próprias custas sobre as diferenças em nossas origens – e pode ter havido momentos em que nossas provocações um com o outro pareceram insensíveis e podem ter feito os outros se sentirem desconfortáveis.

Por fim, os fundadores afirmam que estão orgulhosos da equipe que possuem e lamentam se algum dia deixaram seus funcionários desconfortáveis ou se os decepcionaram e prometem se esforçar para melhorar.

Fonte:gamevicio