Capcom quer que a saga Monster Hunter cresça ainda mais

Ryozo Tsujimoto, produtor de Monster Hunter World, diz que mais de 300 pessoas trabalhavam na expansão Iceborne.

A saga Monster Hunter quebrou recordes de vendas e jogadores com o Monster Hunter World, título com o qual a série conquistou usuários ocidentais e que em fevereiro de 2019 se tornou o mais bem-sucedido da história da Capcom. Mas Ryozo Tsujimoto, produtor da série, entre outras responsabilidades da empresa japonesa, está confiante de que a popularidade dessa propriedade intelectual aumentará ainda mais.

Em uma entrevista publicada no site oficial da Capcom, Tsujimoto explica que Monster Hunter é “ainda relativamente uma série jovem” em comparação com outras propriedades intelectuais da empresa. “Não suponho que todos no mundo conheçam World ou Iceborne. Mesmo no Japão, teremos uma nova geração de jogadores.”

Desde que comecei a me envolver na série, eu queria levar Monster Hunter além dos jogos e fazê-lo prevalecer globalmente”, destaca Tsujimoto sobre seus planos. “Nos últimos 15 anos, tenho trabalhado duro, mas ainda não atingimos nossa meta. De eventos a filmes e muito mais, continuaremos a impulsionar ainda mais a marca.

Em setembro de 2019, Capcom lançou Monster Hunter World: Iceborne, uma enorme expansão para o título original, na qual mais de 300 desenvolvedores trabalharam, quase metade do que no jogo base. “Depende da fase, mas temos mais de 300 pessoas trabalhando no jogo. O desenvolvimento de jogos na Capcom é dividido em dois grandes grupos, e a equipe Iceborne faz parte da Consumer 2 Developmen Division 2, que tem cerca de 700 pessoas, para que você possa entender o escopo da equipe mundial desses dados”, explica o produtor.

Tsujimoto oferece mais informações sobre como a Capcom funciona, uma empresa que não para de crescer ano após ano: “Em vez de uma pessoa que gerencia o projeto sozinha, cada seção tem seu próprio líder para gerenciar as coisas. Também estamos criando um ambiente em que podemos desenvolver nossa própria equipe. A cada ano, nossa empresa recebe mais de 100 novos universitários, para que os líderes de cada seção ajudem no treinamento.”

Fonte:elespanol