Siga-nos:

Call of Duty WWII Vanguard vai ser uma espécie de Black Ops Cold War 2.0

O desenvolvimento conturbado e problemático do jogo levará a um lançamento fragilizado e sem conteúdo

Vai ser nesta nova semana, em 9 de Junho, que veremos o trailer de anúncio da próxima entrada de Battlefield da DICE, e enquanto o hype e antecipação pelo novo jogo da Electronic Arts está altíssimo, as pessoas se fazem pergunta sobre o que há com Call of Duty.

O novo título da série está sendo feito há menos de 2 anos, tendo seu desenvolvimento a cargo da Sledgehammer Games, que vem usando de “cacos” de assets do seu antigo Call of Duty: WWII, junto de recursos do seu outro jogo, que acabou tendo um desenvolvimento tão conturbado que foi repassado a outro estúdio, Black Ops Cold War.

Pelo que sabemos, Call of Duty 2021 se chamará WWII Vanguard, e trará a recente IW Engine 8.0 utilizada em Modern Warfare de 2019 como o centro das atenções, porém apesar da melhoria técnica, o jogo não deve vir da maneira que muitos gostariam.

Na verdade, de acordo com Tom Henderson, fonte muito famosa e confiável há vários anos quando se trata de Call of Duty e Battlefield, mais uma vez se expressou quando foi questionado sobre o que está acontecendo com COD 2021.

Henderson cita que o desenvolvimento do título ainda continua na mesma, caótico, para dizer o mínimo. O jogo não deve vir com um bom lançamento, com ele citando a grande falta de recursos e conteúdo sendo um fator de destaque ao título, algo que o próprio Black Ops Cold War sofreu em alguns meses.

Bom, teremos de esperar para ver como isso vai se desenrolar nas próximas semanas e meses, e veremos como a Activision vai lidar para contornar o caótico jogo sendo feito pela Sledgehammer, e que lembramos, possui apoio da Beenox, High Moon, e supostamente, até da Treyarch, para o seu Zombies Mode.

Fonte:gamevicio