Siga-nos:

Activision encerra acordo de distribuição de jogos da série Call of Duty pela PlayStation

Conhecida no passado como uma franquia-chave e de grande parceria no Xbox, a partir de maio de 2015, a Activision anunciou que firmou uma parceria plurianual com a Sony Computer Entertainment (hoje Sony Interactive Entertainment) para Call of Duty se tornar uma franquia vinculada ao PlayStation.

A partir disso, além do marketing e conteúdos exclusivos em novos lançamentos da série para o PS4, a Sony garantiu os direitos de distruibir todos os novos títulos da série no Japão, alguns até mesmo se tornando exclusivos totais de PlayStation no território japonês. Até 2014, a Square Enix publicava jogos de COD no país, e de Black Ops 3 até o recente Vanguard, a Sony tomou tais rédeas.

Hoje no entanto, foi oficializado pela Activision que a Sony Interactive Entertainment (SIE) deixará de distruibir antigos e novos jogos de Call of Duty no Japão, o que significa que o Modern Warfare II deste ano e títulos mais antigos como WWII, Black Ops 4, Modern Warfare 2019 e Black Ops Cold War passarão a ser publicados pela Activision Publishing e distribuídos pela Activision Blizzard Japan.

Apesar de ser uma novidade, a notícia não é surpreendente. Em janeiro deste ano, a Microsoft e sua divisão Xbox anunciaram a compra da Activision Blizzard por US$ 68,7 bilhões, tornando a editora de Call of Duty e outras franquias como partes do globo que atualmente abriga os 23 estúdios da Xbox Game Studios/ZeniMax, tornando Call of Duty uma marca First-Party de uma das principais rivais da Sony no campo de gaming.

Mais recentemente, a editora anunciou que pretende lançar Modern Warfare II, juntamente com uma sequência do seu popular FPS battle-royale Call of Duty: Warzone em 2022 pela Infinity Ward. Ambos os títulos carecem de uma data de lançamento oficial, mas deveremos estar descobrindo novas informações do jogo e seu lançamento ao longo dos próximos meses.